Bitcoin SV: A Bitcoin para GANHAR e UTILIZAR

bitcoin-sv-the-bitcoin-you-earn-and-use_portugal

Por Jimmy Nguyen

Presidente Fundador, Bitcoin Association

A Bitcoin SV (BSV) está a desencadear mudanças culturais no mundo da moeda digital à medida que restaura a “Visão Satoshi”, do criador da bitcoin, Satoshi Nakamoto. A escala maciça do roteiro da BSV irá suportar volumes de transações maiores, enquanto mantém as taxas de transação diminutas para permitir micropagamentos. Isto está a criar uma mudança de paradigma para a bitcoin, que se afasta do modelo atual de criptomoeda dependente do câmbio de “comprar e guardar” moedas rumo a um novo mundo autocapacitante que permite às pessoas “ganhar e utilizar” bitcoins. Ao concretizar finalmente a visão original da bitcoin, a BSV irá gerar uma nova economia digital recursiva na qual a bitcoin é efetivamente utilizada na vida do dia a dia como nasceu para ser: um sistema de dinheiro eletrónico não hierárquico.

Porque é que a Bitcoin Core (BTC) ficou presa no paradigma “Comprar e Guardar”

Comecemos por ver o motivo pelo qual o ecossistema de bitcoins anterior ainda não criou uma verdadeira economia digital. Volvidos 10 anos desde que a bitcoin foi introduzida, relativamente poucas pessoas guardam moedas e não há realmente formas práticas de utilizar bitcoins. Globalmente, estima-se que existam 32 milhões de carteiras de bitcoins, mas apenas 7,1 milhões de utilizadores de bitcoins ativos (apenas um décimo de 1% da população mundial de 7 mil milhões). A menos que se seja um minerador a ganhar moedas recém-cunhadas, a bitcoin é uma moeda digital que se tem de comprar através de uma bolsa; em seguida, para a maioria dos compradores, a solução consiste simplesmente em guardar (ou HODL) as bitcoins, à espera de rentabilizarem o investimento. O paradigma atual depende grandemente da aquisição de moedas através de bolsas de criptomoeda. 

Contudo, não é assim que funciona o resto do dinheiro na nossa vida. Exceto ao cambiar moedas estrangeiras, não optamos por comprar moeda fiduciária para gastá-la ou utilizá-la. O dinheiro entra geralmente nos nossos bolsos quando o ganhamos, através do pagamento do salário ou por outros meios. Gastamos ou utilizamos então o dinheiro ganho no âmbito de uma economia recursiva. De modo a alcançar a utilização global por biliões de pessoas, a bitcoin precisa de funcionar da mesma forma. A bitcoin não terá êxito como sistema de dinheiro eletrónico se tivermos de comprar moedas apenas para gastá-las; em vez disso, têm de existir formas fáceis de ganhar e receber bitcoins que vão além de comprar moedas numa bolsa. O mesmo problema existe para as centenas de outros projetos de criptomoeda concorrentes: não permitem que os utilizadores ganhem moedas no âmbito de uma economia cíclica. Fazer com que a bitcoin ou outras criptomoedas sejam adicionadas a serviços de pagamento de salários dos funcionários é um passo fundamental, mas têm de existir aplicações tecnológicas que permitam às pessoas ganhar moedas de outras formas.

Infelizmente, isto não aconteceu com a Bitcoin Core (BTC), a rede que a maioria das pessoas pensam incorretamente ser a bitcoin. A BTC não consegue incentivar uma economia recursiva de “ganhar e utilizar” porque a sua capacidade de dimensionamento da cadeia de blocos (blockchain) foi paralisada por um tamanho de bloco minúsculo. Um sistema de dinheiro eletrónico requer transações rápidas e taxas muito baixas. No entanto, movido pelas suas próprias segundas intenções, o grupo de programadores da Bitcoin Core manteve os blocos na BTC limitados a um tamanho minúsculo de 1 MB. Os blocos de 1 MB permitem apenas uma média de 3 transações por segundo e nunca conseguem rivalizar com a rede Visa, que realiza uma média de 2.000 transações por segundo, podendo atingir 56.000 transações por segundo em períodos de ponta. Com blocos minúsculos de 1 MB, a rede BTC fica frequentemente congestionada, com transações por vezes a terem de esperar horas pela confirmação. Isto fez disparar as taxas de transação da BTC. Em janeiro de 2018, custava 20-40$ para enviar uma única transação de BTC; atualmente, as taxas de transação da BTC rondam os 4$, mas isso continua a ser demasiado alto para criar um sistema de dinheiro eletrónico diário.

Com o tempo, os apoiantes da BTC abandonaram a visão da bitcoin como “dinheiro eletrónico” e em vez disso têm de vender a história de que a BTC atua como “ouro digital” e uma “reserva de valor”. Esta mentalidade de “comprar e guardar” infiltrou-se durante demasiado tempo.

Como é que a BSV abre a porta ao paradigma de “Ganhar e Utilizar”

Mas, e se a bitcoin conseguisse atingir realmente uma grande escala e manter as taxas de transação diminutas de forma que os programadores pudessem criar aplicações que permitam às pessoas ganhar e utilizar facilmente a BSV, como interações online de rotina? Isto é exatamente o que a BSV representa, pois executa a “Visão Satoshi” original da bitcoin com um roteiro de dimensão maciça. 

Quando surgiu em novembro de 2018, a BSV começou com um limite de blocos predefinido de 128 MB, comparados com apenas 1 MB na BTC. As transações na BSV são rápidas e custam menos de um quinto de um centavo dos EUA para enviar. A 24 de julho, a rede BSV evoluiu para um novo limite de bloco predefinido de 2 gigabytes (que são 2.000 MB) – muito, muito maior do que os blocos de 1 MB da BTC. E em fevereiro do próximo ano, a rede BSV irá remover completamente o limite de bloco predefinido para permitir um potencial de dimensionamento ilimitado. Contamos que as taxas de transação passem a ser ainda mais baixas – frações minúsculas de um centavo – e que as velocidades de transação sejam rápidas. É assim que a bitcoin foi concebida para funcionar.

E é por isso que o ecossistema da BSV está a mudar a mentalidade de “comprar e guardar” para criar formas de as pessoas poderem “ganhar e utilizar” bitcoins. Empreendedores inovadores estão a conceber novas aplicações que permitem aos utilizadores ganhar pequenas quantias de BSV através de micropagamentos e em seguida utilizar efetivamente a moeda digital. Eis alguns exemplos:

  • A UptimeSV venceu a 1.ª BSV Hackathon de sempre em maio de 2019, organizada pela Bitcoin Association e patrocinada pela CoinGeek. Com tecnologia da BSV, a plataforma fornece de forma criativa desempenho e monitorização do tempo de disponibilidade (como no caso de websites e aplicações tecnológicas) para que as empresas possam garantir que os seus sistemas empresariais são robustos e estão reforçados contra ataques DDoS. A UptimeSV permite a qualquer pessoa ganhar BSV instalando uma aplicação no seu dispositivo móvel. Os utilizadores fornecem a potência de computação inativa dos seus dispositivos móveis, bem como informações localizadas, possibilitadas pela deambulação constante dos dispositivos móveis dos utilizadores no mundo inteiro, para ajudar a testar o desempenho do website de um cliente da empresa ou de outra aplicação tecnológica e o respetivo tempo de disponibilidade. Enquanto utilizador, são-lhe pagas pequenas quantias de BSV a fim de fornecer a potência do seu dispositivo móvel para participar nestes testes de disponibilidade para clientes da plataforma.
  • A TonicPow conquistou o 2.º lugar na BSV Hackathon de maio de 2019, sendo outro projeto vencedor que permite às pessoas ganhar BSV. A TonicPow é uma plataforma de publicidade não hierárquica. Permite aos utilizadores monetizar os respetivos websites e ganhar BSV diretamente dos anunciantes que colocam anúncios nos websites dos utilizadores. Os anunciantes podem promover facilmente os seus produtos nos websites participantes ou angariar dinheiro com o crowdfunding “Tonics.”
  • A Twetch é uma nova aplicação de microblogues, semelhante ao Twitter na cadeia de blocos da BSV. O mundo atual das redes sociais está cheio de contas falsas, trolls online e bots. A Twetch ajuda a limpá-los porque requer que os utilizadores paguem pequenas quantias de BSV para publicar uma mensagem. Em troca, os utilizadores podem ganhar BSV de volta sempre que outra pessoa gosta ou deixa um comentário nas suas mensagens. A Twetch premeia os utilizadores que publicam os conteúdos de mais alta qualidade que recebem a maior interação com outros utilizadores. Compare-se isto com o paradigma atual em que apenas as plataformas de redes sociais (como o Twitter, Facebook e Instagram) – mas não você enquanto utilizador – ganham dinheiro através de receitas de publicidade a partir dos seus conteúdos e interações. A Twetch pretende alargar a sua funcionalidade para transformar ainda mais aplicações da Internet, criando ao mesmo tempo mais formas de os utilizadores ganharem e utilizarem BSV através de conteúdos e interações online.
  • A Cityonchain é um novo centro de informação on-chain organizado à volta de cidades, semelhante à Craigslist nos EUA ou à 58.com na China, que publicam anúncios classificados locais. A Cityonchain irá permitir funções localizadas, como a publicação de empregos, anúncios de comerciantes, comércio de bens e até encontros online. Os utilizadores podem reivindicar a “propriedade” de uma cidade e gerir a mesma; outros utilizadores são “visitantes” de uma cidade. Os proprietários de cidades promovem funções na plataforma com incentivos económicos e ganham BSV através da sua própria atividade (como oferecer publicidade na cidade) e da atividade dos visitantes da sua cidade (por exemplo, na atividade de salas de chat, o proprietário da cidade pode ganhar 0,01$ de BSV por comentário de visitante). Os visitantes da cidade podem ganhar BSV publicando informações de alta qualidade (por exemplo, se outro utilizador “GOSTAR” do seu comentário sobre a classificação de um restaurante da cidade, receberá BSV no valor de alguns cêntimos). Em suma, a plataforma irá incentivar tantos os proprietários de cidades como os visitantes das cidades a ganhar BSV com conteúdos de alta qualidade e o envolvimento dos utilizadores na cidade. O objetivo da Cityonchain é criar muitos “Chaintizens” felizes e remunerados com BSV. 
  • A FiveBucks é o mais tradicional dos serviços nesta lista, mas continua a fazer uma excelente utilização da BSV. Opera um mercado independente global, onde os clientes pagam em BSV e fornecedores de serviços independentes ganham BSV pelo seu trabalho. Por exemplo, se precisar de criar um logótipo para o seu website, pode selecionar um designer gráfico na FiveBucks que oferece os seus serviços de design por 5,00$, pagos em BSV. (A taxa tem de ser 5,00$, mas os trabalhadores independentes podem personalizar ou dividir o seu serviço em componentes do valor oferecido para 5,00$). Uma vez que as taxas de transação de BSV são muito baixas, o mercado consegue suportar encargos reduzidos por transação de serviço.
  • Quando eu estava a escrever este artigo, foi anunciado outro novo serviço: a RateSV será lançada a 10 de agosto. Permitirá aos utilizadores ganhar BSV através da compra e investimento em dados financeiros em tempo real; esses dados serão registados permanentemente on-chain utilizando o protocolo “Metanet” da nChain.

A UptimeSV, TonicPow, Twetch, FiveBucks e serviços semelhantes são os pontos de partida para algo maior; há mais aplicações “remuneradoras de BSV” a chegar. Estas aplicações são possíveis devido às capacidades técnicas da BSV – blocos grandes, capacidade de dimensionamento, velocidade, taxas de transação muito baixas e envio não hierárquico verdadeiro – as quais permitem grandes volumes de microtransações e micropagamentos. Anunciam o novo paradigma de que a bitcoin não é meramente um ativo que se tem de “comprar e guardar”; a bitcoin – na forma da BSV – é dinheiro eletrónico que todos podem ganhar e utilizar facilmente a nível global. 

Esta mudança cultural será especialmente poderosa para os países em desenvolvimento, onde pequenas quantias de BSV podem mudar vidas de forma significativa. Em vez de se pedir às pessoas sem conta bancária para comprarem bitcoins a uma bolsa com o pouco dinheiro que têm, o ecossistema da BSV irá abrir portas a todos os níveis socioeconómicos, permitindo-lhes ganhar BSV facilmente com aplicações nos seus telemóveis. Com moedas BSV em mais mãos, cada vez mais pessoas poderão realmente utilizar as moedas: nos novos serviços BSV interativos, para comprar produtos e para enviar à família e aos amigos. 

Está na altura de nos afastarmos da mentalidade atual de “comprar e guardar” dependente de bolsas de criptomoeda. Bem-vindo ao novo paradigma de “ganhar e utilizar” bitcoins e à nova economia digital recursiva – tornada possível apenas graças à BSV.

Jimmy Nguyen é o Presidente Fundador da Bitcoin Association, a organização global da indústria para o negócio de bitcoins, que sustenta a Bitcoin SV. Jimmy foi anteriormente Diretor Executivo do Grupo nChain, o líder mundial em consultoria, investigação e desenvolvimento de tecnologias de cadeia de blocos, sendo atualmente Presidente do respetivo Conselho Consultivo Estratégico. Jimmy é um ex-advogado, com uma carreira de mais de 21 anos como advogado de propriedade intelectual e tecnologia digital nos EUA, onde foi parceiro em três firmas de advogados de renome. Em 2008, a Lawdragon apontou Jimmy (com apenas 36 anos) como um dos “500 Principais Advogados da América” e descreveu-o como um “talento dinamizador”.